Noiva real: Priscila

by marianakuenerz

O vestido? “Vi um na internet e me apaixonei. Só que a calda era tipo sereia, o que não ficaria bem no meu corpo. Então a Mari fez algumas adaptações e criou o vestido perfeito para mim. Amei”, comemora. O modelo foi um tomara-que-caia cinturado, que valorizou o colo, arrematado por um véu em tamanho médio e uma tiara.

Silvio é quinze anos mais velho que ela e tem dois filhos de outro casamento. Mas nesse caso, as diferenças só serviram para reafirmar o amor que um sente pelo outro. “No início as barreiras foram grandes, mas o tempo, como sempre muito sábio, fez com que tudo se transformasse para que formássemos uma grande família”, afirma Priscila. Romântica, ela relembra o pedido: “aconteceu na varanda do meu antigo apartamento, que tem uma vista linda para Lagoa e no Dia dos Namorados. Foi lindo e real”, conta.

Após o pedido (“comecei a procurar opções de data e local no dia seguinte!”) o casal fechou o Jockey Club para a cerimônia e a festa. “Em seguida fui ver detalhes, como lembrancinhas. Eu queria que a festa fosse bem diferente para que fosse sempre lembrada”, revela a noiva.

Em busca da personalização do casamento, o casal apostou em um monograma, criado por um dos padrinhos, e que foi usado em vários detalhes da festa. Para agradar os convidados, um pendrive em formato de rolha de champanhe foi distribuído como brinde. “Não posso deixar de comentar sobre o olho turco. Mandei colocar um em cada bem-casado para afastar mal olhado mesmo. Acredito muito nisso!”, revela Priscila. Segundo a noiva, o casamento foi o dia mais feliz da sua vida. E ela compartilha um momento especial. “Meu enteado de 16 anos foi um dos padrinhos e o de sete levou as alianças. Foi muito emocionante”, finaliza.

ImagemImagem

ImagemImagem

ImagemImagem

ImagemImagem

ImagemImagem

ImagemImagem

ImagemImagemImagemImagemFotos: Ribas

Advertisements